Família. Começa a fazer falta. E, arrisco, deve estar a fazer falta na maioria das casas portuguesas com gente pequenina e repleta de energia, a que comumente a sociedade apelida de filhos: a necessidade de dar azo à criatividade. Afinal, já lá vão algumas semanas em que as rotinas ficaram viradas do avesso — e já se sabe que esta coisa da parentalidade pode deixar qualquer pai ou mãe com os cabelos em pé. Especialmente em tempos de isolamento domiciliário em que a paciência poderá nem estar sempre naquele nível desejável.

Porque isto de ver os mesmos episódios ou filmes de bonecada não é fácil. Fosse hoje eu criança e estaria a obrigar gente graúda a maratonas de Dartacão. Acredito que fosse giro durante uns tempos, mas ao fim de umas semanas a coisa podia ser só pesarosa. Enfim, tudo isto para explicar que percebo a dor destes pais, apesar de me cingir ao papel de tio. Por isso, aqui ficam 10 ideias para ocupar as crianças sem recorrer ao digital. No fundo, aprender a brincar como no antigamente. Porque brincar é preciso, dizem os especialistas.

Covid-19. O último balanço das autoridades de saúde pública aponta para 10.524 casos confirmados de infeção e 266 mortos (mais 20 do que no anterior boletim) em Portugal. Na habitual conferência de imprensa diária, a ministra da Saúde, Marta Temido, iria afirmar que estamos numa fase em que "todos temos medo, mas este é o momento de equilibrar o medo e a coragem". E com este apelo as autoridades anunciaram testes à imunidade de grupo e a chegada de equipamento ao país. Poderá recordar o que foi dito aqui.

Vila Real é uma de várias cidades no país que arregaçou as mangas devido à Covid-19. E este é o retrato de um município unido contra a pandemia. Porque "só se ganha uma guerra vencendo batalhas".

Linha SNS24. Foi criada uma linha a pensar nos casos em que as pessoas não estão a conseguir "lidar com aquilo que estão a sentir" nestes tempos de pandemia. E é um serviço de aconselhamento psicológico para todos — desde os profissionais de saúde à população em geral. Porém, é também em tempos difíceis que aparecem as surpresas e o melhor do lado humano sobressai. E em tempos de isolamento e solidão há quem procure dar cor (e música) aos nossos dias aos demais.

Ensino. Tele-escola para alunos até ao 9º ano, como no passando, mas agora moldada para um presente digital e com adornos modernos. Não vão existir nem quadros nem giz. E haverá horários diferentes para diferentes anos de ensino.

"Como não era possível chegar a todos os alunos através dos meios mais tecnológicos, vamos poder fazê-lo pelos meios mais tradicionais", explicou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, em declarações à RTP.

Porém, avisa o ministro, esta medida será apenas um "complemento" do que está previsto. No entanto, não alongou e remeteu mais explicações e medidas concretas para o dia 9 de abril. Por agora, sabe-se que irá ocupar o espaço do canal RTP Memória.

Páscoa. O primeiro-ministro, António Costa, assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13.

Chega. André Ventura parece estar decidido a abandonar a liderança do partido e até já terá marcado uma convenção nacional para setembro, de onde sairá o nome do próximo líder. E tal sucede porque está "farto" e "cansado" dos que "sistematicamente boicotam" a direção.

2020 sem festas populares. A Câmara Municipal de Lisboa cancelou a edição deste ano das marchas populares e os arraiais de Santo António e autarquia do Porto cancelou a Festa do São João devido à pandemia.

Emprego. Quase 32 mil empresas portuguesas já se candidataram ao 'lay-off' simplificado e Bruxelas aprovou programas de apoio às empresas portuguesas no valor de 13 mil milhões de euros.

De Itália, uma notícia que traz algum alento em tempos muito complicados: este sábado verificou-se pela primeira vez uma redução do número de doentes nos cuidados intensivos. Por sua vez, em Espanha, o primeiro-ministro Pedro Sánchez anunciou o prolongamento do "estado de emergência" até à meia-noite de 25 de abril.

Nos Estados Unidos, o Centro para Controlo e Prevenção de Doenças aconselhou o uso generalizado de máscaras. Porém, o presidente norte-americano, salientou que a medida é apenas uma "recomendação voluntária" e que, ele próprio, não deverá usar qualquer proteção facial para se proteger da infeção por coronavírus. (Sem que esteja relacionado, mas também foi notícia o facto de ter demitido o inspetor que tratou da denúncia que conduziu ao seu impeachment.)

Sugestão de streaming em altura de confinamento. "The Plot Against America", na HBO Portugal. O livro que serve de enredo a esta mini-série de seis episódios é A Conspiração Contra a América, de Philip Roth. Mas do que trata? Lugar e ano: Estados Unidos, 1940. Contexto social? Franklin D. Roosevelt foi derrotado nas eleições norte-americanas por Charles Lindbergh — um herói aviador, mas igualmente populista e xenófobo. Obviamente, é uma América aficionada, mas que dá muito que pensar. E onde Winona Ryder e John Turturro têm espaço para brilhar. A adaptação para a televisão ficou a cargo de David Simon (The Wire, The Deuce) e Ed Burns.

Sem mais, o meu nome é Abílio dos Reis e hoje o dia foi mais ou menos assim.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.