O Japão anunciou esta segunda-feira o cancelamento da celebração pública do aniversário do imperador Naruhito, prevista para 23 de fevereiro, por causa dos temores de uma propagação do novo coronavírus — Covid-19 — no país.

"À luz de várias situações, decidimos cancelar a visita do público geral ao palácio para o aniversário de Sua Majestade", afirmou a agência imperial num comunicado citado pela agência France-Presse.

"A aparição de Sua Majestade pela manhã e a assinatura pública do livro de cumprimentos serão canceladas", acrescentou o comunicado, publicado um dia depois do pedido das autoridades à população que evite concentrações e reuniões "não essenciais".

Quase 60 pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus no Japão, que já causou a morte de uma mulher de 80 anos. Pelo menos outros 355 contágios foram registados no cruzeiro "Diamond Princess", que está em isolamento no porto de Yokohama.

Com o aumento do número de infetados, o ministro da Saúde, Katsunobu Kato, advertiu no domingo que o país estava "a entrar numa nova fase". "Estamos a ver casos de infeção cujas rotas de transmissão não podemos rastrear", disse o ministro.

A celebração pública do aniversário do imperador Naruhito seria a primeira desde que assumiu o trono em maio do ano passado. Duas vezes ao ano — no Ano Novo e no aniversário — o imperador faz aparições públicas numa área do palácio.

China: adiar a sessão plenária

Enquanto isso, o parlamento chinês avalia um adiamento da sua sessão plenária, o grande evento anual do regime comunista, anunciou nesta segunda-feira a agência estatal Xinhua, no momento em que o país enfrenta a pneumonia viral.

A sessão de 10 dias, durante a qual o Parlamento habitualmente ratifica por grande maioria as decisões do Partido Comunista, deve começar em 5 de março.

Todavia, o Comité Permanente da Assembleia Nacional Popular (ANP, Parlamento) vai reunir-se na próxima semana para "deliberar sobre um projeto de adiamento da terceira sessão anual parlamentar", informou a Xinhua.

A agência não explicou o motivo do possível adiamento, mas uma decisão neste sentido é aguardada em função da epidemia do novo coronavírus, que provocou 1.770 mortes na China e deixou mais de 70.500 infetados desde dezembro. O vírus propagou-se a todo o território.

Em Macau, por outro lado, o Governo anunciou hoje que a partir de quarta-feira às 00:00 os casinos do território vão poder reabrir as portas, encerradas há cerca de 15 dias, devido à propagação do surto do novo coronavírus na capital mundial do jogo.
O chefe do executivo de Macau determinou, por despacho, que “é levantada a medida excecional a partir das 00:00 de dia 20”, disse o secretário para a Administração e Justiça, Cheong Weng Chon.

O número de mortos devido ao novo coronavírus (Covid-19) na China continental subiu hoje para 1.770, ao mesmo tempo que foram registados 2.048 novos casos de infeção, foi anunciado.

A Comissão de Saúde da China disse que o número de infetados pelo Covid-19 ascendeu a 70.548. Entre os novos casos, 1.933 são da província de Hubei, centro do surto.

Das 105 mortes registadas nas últimas 24 horas, 100 ocorreram em Hubei.

A Comissão de Saúde da China acrescentou que existem 10.644 casos graves de infeção pela doença, enquanto 10.844 pessoas foram curadas e já receberam alta.

Estão ainda a ser acompanhadas 546.016 pessoas que mantiveram contacto próximo com os infetados, sublinhou.

Além de 1.770 mortos na China continental, há a registar um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas, um no Japão e um em França.

As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província, situada no centro da China, para tentar controlar a epidemia, uma medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.