O vice-diretor da Comissão de Saúde da China, Zeng Yixin, considerou que a “situação melhorou” a nível nacional, mas sublinhou que na província de Hubei, centro do surto, o número de mortes e novos casos diários ainda está “num nível alto” a deve ser levado “a sério”.

A Comissão de Saúde da China anunciou esta manhã que o número de mortos no continente chinês subiu para 2.236.

Hubei registou hoje mais 115 mortes e 631 casos de infeção. No total, o número de infetados ultrapassou os 60.000, dos quais 2.144 morreram. As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

“O controlo do surto alcançou conquistas significativas e a situação tende a melhorar”, disse Zeng, lembrando que o número diário de novos casos diários confirmados na China continental caiu de um máximo de 15.152, no dia 13 de fevereiro, para menos de 900, até à meia-noite de hoje.

No entanto, esse pico nos novos casos ocorreu num dia em que as autoridades chinesas alteraram a metodologia da contagem, passando a incluir “casos clinicamente diagnosticados”, sem exame laboratorial.

Na quinta-feira, as autoridades chinesas voltaram a alterar a metodologia da contagem de infetados com o coronavírus Covid-19 e passaram a contabilizar apenas pacientes sujeitos a exame laboratorial, uma decisão que se refletiu na descida acentuada no número de novos casos.

Em todo o país, com exceção de Hubei, o número de novos casos caíram de um pico de 890 para menos de 300, na quinta-feira, realçou Zeng. Em Wuhan, capital de Hubei, o número de novos casos diários confirmados passaram de um pico de 3.190 para menos de 400.

O responsável notou ainda que o número de pacientes que superaram a doença na China cresceu significativamente nos últimos três dias e igualou o número de novos casos.

O número de províncias e regiões autónomas sem novos casos também continuou a aumentar e atingiu hoje as 14, incluindo Tibete, Xinjiang ou Mongólia Interior.

Na mesma conferência de imprensa, o vice-ministro da Ciência e Tecnologia, Xu Nanping, disse que a primeira vacina contra o coronavírus deve estar pronta para testes clínicos no final de abril.

Xu destacou a recuperação de vários pacientes graças ao tratamento com plasma, que consiste na transferência de sangue de pessoas recuperadas para pacientes em estado grave.

“Aqueles que recuperaram podem desempenhar um papel extraordinário em ajudar os outros a recuperarem”, observou.

O coronavírus Covid-19 já infetou mais de 75.000 pessoas a nível mundial.

Além dos mais de 2.200 mortos na China continental, morreram três pessoas no Japão, duas na região chinesa de Hong Kong, duas no Irão, uma nas Filipinas, uma em França, uma em Taiwan e uma na Coreia do Sul.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.