Em comunicado, o grupo adianta que as suas 320 lojas passarão a encerrar ao domingo a partir das 14:00, numa decisão “extraordinária e temporária” que “tem como principal objetivo promover a maior rotatividade das equipas, a proteção dos colaboradores e o seu descanso num contexto de aumento de atividade”.

“Ao reduzir horário, os gestores conseguem melhor organizar as equipas de trabalho de forma a permitir uma maior segurança dos seus colaboradores, garantindo também assim a continuidade do serviço durante toda a pandemia”, refere, acrescentando que “a esta medida de proteção dos colaboradores junta-se ainda a definição de horários exclusivos para profissionais de saúde, forças de segurança e proteção civil”.

Uma vez que cada loja d’ Os Mosqueteiros é gerida por empresários independentes – “que, pela sua proximidade às comunidades locais têm um conhecimento privilegiado das suas especificidades e necessidades” –, o grupo diz que será “da competência de cada uma delas a definição do horário exclusivo para profissionais da linha da frente”.

“Estamos, como sempre estivemos, ao serviço da comunidade. Sabemos que este é um momento difícil e é com um enorme reconhecimento que assistimos ao profissionalismo com que os nossos colaboradores têm enfrentado a situação ajudando a manter o nosso país de pé. O seu bem-estar e o das suas famílias é tão importante para nós quanto o dos nossos clientes”, afirma o administrador João Magalhães, citado no comunicado.

O grupo de distribuição destaca que todas as suas 320 lojas “estão a respeitar escrupulosamente as medidas tomadas pelas autoridades públicas e pelo grupo para prevenir a propagação do vírus” e proteger os trabalhadores, estando atualmente “todos os funcionários cuja presença física não é imprescindível ao funcionamento da estrutura já em teletrabalho”.

O grupo Os Mosqueteiros atua em Portugal com três insígnias: Intermarché (supermercados especialistas em produtos frescos); Bricomarché, (decoração, bricolage, materiais de construção, jardinagem e produtos para animais de estimação); e Roady (centros-auto especialistas na manutenção, equipamento, reparação, acessórios e peças para automóvel).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia, cujo epicentro é atualmente a Europa, com mais de 226.000 casos, sendo Itália e Espanha os dois países do mundo com mais vítimas mortais (6.820 e 3.434 óbitos, respetivamente).

Em Portugal, o número de mortes por covid-19 subiu hoje para 43, revelou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), num boletim que regista 2.995 casos de infeção.

O país, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril. Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.