Nascido na capital argentina, em 31 maio de 1931, Juan Carlos Copes foi pioneiro no estabelecimento do tango como expressão coreográfica própria, a partir da tradição popular, estabelecendo o chamado “Tango Escenario”, que levou a dança aos principais palcos internacionais.

Copes foi o coreógrafo de Astor Piazzolla (1921-1992), o impusionador do Novo Tango, para a ópera “María de Buenos Aires”.

Concebeu igualmente as coreografias de tango para o filme de Carlos Saura.

Com a bailarina Maria Nieves, sua companheira de vida, Juan Carlos Copes formou o par conhecido como “Fred Astaire e Ginger Rogers do tango”, que dançou durante mais de quatro décadas.

A história de ambos foi retratada no filme “O Nosso Último Tango”, de German Kral, estreado nas salas de cinema portuguesas em 2018.

“Ele brilhou sob as luzes da Broadway e foi aplaudido na Europa”, escreveu o Ministério da Cultura da Argentina, na sua página oficial no Twitter, numa reação à morte do bailarino e coreógrafo.

A Associação ProTango Argentina, por seu lado, destacou o trabalho de Juan Carlos Copes como “formador de gerações de artistas”, que levou “espetáculos inovadores de tango” ao mundo inteiro.

“O meu pai brilhará para sempre entre as estrelas e na história do tango”, escreveu Johana Copes, filha do coreógrafo e também bailarina, que acompanhou o pai nos últimos anos da sua carreira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.