Diário de um pai em casa. Dia 40


Nestes tempos de quarentena redescobri que, se calhar, não cumpri algumas da tarefas inerentes à paternidade. Não me recordo de ter feito castelos na areia com nenhum dos quatro filhos, aprenderam a nadar sozinhos, as lições de bicicleta ficaram reduzidas a um par e concentradas no primeiro filho e conto pelos dedos as histórias que li à cabeceira. Puzzles e Legos, dei uma ajuda, reconheço. Fará de mim um pai desinteressado? Não. Muito antes pelo contrário.

As únicas construções à base de areia e água salgada que fiz, e faço, são os postes das balizas ou a linha de ensaio, conforme o jogo em disputa. De resto, a cada ida à praia, carrego e faculto os materiais necessários para, eles mesmos, darem azo à imaginação.

Prefiro atirá-los às ondas e vê-los desenvencilharem-se das espumas revoltas. Nas duas rodas, embora tenha aparado, escassas vezes, um selim, fui surpreendido pelos restantes filhos, pelo menos três vezes, nas primeiras voltas circulares à minha volta.

Por fim, estimulei sempre o prazer da leitura, oferecendo livros adaptados à idade de cada um. É um facto que nunca me sentei ao lado para que adormecessem. Opto, sim, nas horas úteis, dar-lhes, em mão, as páginas que não são um meio para fechar os olhos, mas um fim em si mesmo para despertarem para outros mundos e realidades.

Em suma, na contabilidade das tarefas de pai, andar de bicicleta, nadar, construir e ler histórias da bela adormecida, conquisto meio ponto. Do encaixe de puzzles e lego.

Mas a razão é simples: preferi, sempre, observá-los, permitir que errassem, caíssem e, acima de tudo, experimentassem.

Hoje é Dia Mundial do Livro.

O meu filho António, que dá os primeiros passos na junção de palavras, leu, com a mãe, o “Leão que temos cá dentro”, de Rachel Bright e Jim Field, do Plano Nacional de Leitura, a Teresa está a folhear um clássico da literatura juvenil, “Meninas Exemplares”, da Condessa de Ségur, a Francisca, de folga nas leituras, terminou “O Rapaz do Pijama às Riscas”, de John Boyne e o José Maria, ao meu pedido que aproveitasse algum do tempo para ler pediu-me que comprasse, todos os dias, um jornal desportivo. Para ler sobre as últimas do Sporting.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.