Numa carta aberta ao vice-presidente da Comissão Europeia para o Pacto Ecológico Europeu, Frans Timmermans, o movimento considera que a atual política agrícola representa “um perigo para o futuro”, uma vez que “não garante respostas para a crise climática”.

“A crise do coronavírus veio expor as fragilidades do sistema alimentar globalizado. Os países europeus veem-se confrontados com a dependência sistémica das importações de alimentos, trabalhadores sazonais mal pagos e cadeias de fornecimento e troca globalizadas”, escreve o Fridays For Future (FFF) Europa, sublinhando a perda de biodiversidade.

O FFF, que ganhou visibilidade com a ativista sueca Greta Thunberg, pede um novo começo na construção da Política Agrícola Comum (PAC) para “fazer face à crise climática”, numa carta divulgada depois de esta semana a Comissão Europeia ter apresentado planos para o futuro da agricultura europeia, com a divulgação das estratégias políticas de biodiversidade e do Prado ao Prato.

Na quarta-feira, a Comissão Europeia adotou a “Estratégia da Biodiversidade”, com um financiamento de 20 mil milhões de euros por ano, e a “Estratégia do Prado ao Prato”, que contempla uma redução para metade da utilização e risco dos pesticidas.

Na carta divulgada hoje, quando se assinala o Dia Internacional da Biodiversidade, o Fridays For Futures sublinha: “Os políticos da UE têm que reconhecer que, por um lado, uma das grandes esperanças no combate à Crise Climática e no combate ao colapso da biodiversidade assenta na agricultura e que, por outro lado, a atual PAC está perto de a destruir”.

“Precisamos de um novo começo na PAC. A PAC é uma das questões mais importantes para o futuro. Não só porque a atual política agrícola é ineficaz na redução rápida de emissões, mas pior, está a esgotar o potencial de esperança que existe dentro agricultura”, afirma Bianca Castro, do Fridays For Future Portugal (Greve Climática Estudantil), citada num comunicado do movimento.

O FFF Europa recorda que este ano os fundos da PAC para os próximos sete anos “serão redistribuídos” e recorda que, com 38%, a PAC “é o maior item do orçamento da UE” e que “mais de 10% das emissões totais de gases com efeito de estufa da UE são causadas pela agricultura”.

O movimento lembra que pelo menos 10% do total de emissões europeias provém da agricultura, mas que os agricultores estão a lutar pela sua sobrevivência, e que a PAC é “um dos maiores programas subsidiários do mundo, com 58 mil milhões de euros todos os anos, o que faz corresponder 114 euros a cada cidadão da União Europeia”.

O FFF Europa destaca também que mais de 3.600 cientistas estão a apelar à ação sobre a PAC, pois afirmam que as reformas na agricultura da UE “irão falhar em lidar com a crise climática e a perda de biodiversidade, colocando o futuro da agricultura em risco”.

“Ainda assim, a agricultura pode providenciar muitas soluções: reduzir em metade a produção e o consumo de produtos de origem animal pode reduzir as emissões até 40%; as emissões podem ser rapidamente reduzidas, restaurando pântanos e solos; emissões negativas podem ser produzidas devido à fixação de carbono nos solos”, escreve o movimento.

O Fridays For Future defende ainda que a agroecologia, em conjunto com o fim da poluição causada pelo uso de pesticidas, “pode restaurar a biodiversidade” e que o futuro passa “por uma agricultura regional, justa, sustentável e digna para quem trabalha que reduza as injustiças e trilhe uma perspetiva de futuro para o setor”.

“Para apoiar o papel central dos agricultores no ambiente e na sociedade, devemos encorajá-los com os guiões financeiros (para a redução de emissões, recuperação de biodiversidade e fixação de carbono nos solos) inscritos nos fundos da PAC”, acrescenta.

“Os fundos públicos têm de ser direcionados para uma transição agrícola sustentável, camponesa e amiga do ambiente. Precisamos de uma PAC justa e baseada em factos”, sublinha o movimento, acrescentando: “Apoiamos agricultores e trabalhadores agrícolas, independentemente dos seus produtos serem orgânicos ou não – não há uma transição justa sem eles. Apenas juntos podemos fazer a mudança”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.