Em comunicado enviado às redações, o Ministério das Infraestruturas e da Habitação informa que o Governo "decidiu prorrogar por mais 14 dias o despacho de 10 de março que suspendeu os voos de todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, com destino ou partida dos aeroportos ou aeródromos portugueses para todas as regiões de Itália".

Assim, esta nova suspensão "entra em vigor às 00h00 do dia 25 de março e pelo mesmo período de 14 dias (até 7 de abril de 2020)".

De referir que a medida se aplica a "todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, com destino ou partida dos aeroportos ou aeródromos portugueses para todas as regiões de Itália".

Todavia, "a medida não se aplica a aeronaves do Estado, voos para transporte exclusivo de carga e correio, bem como a voos de caráter humanitário ou de emergência médica e a escalas técnicas para fins não comerciais".

Itália — o segundo país com mais casos de infeção no mundo — registou até ao momento 63.927 casos positivos, 6077 mortes (superando os números da China, onde teve origem a pandemia) e 7432 recuperações.

Depois de ter assistido a uma subida descontrolada dos números de casos confirmados e de mortes devido ao novo coronavírus, Itália agarrou-se esta segunda-feira à pequena esperança de que a queda no número de mortes registada no último domingo seja o prenúncio de uma desaceleração da pandemia.

"Os números anunciados [no domingo] são mais baixos do que os do dia anterior. Espero, e todos esperamos, que esses números possam ser confirmados nos próximos dias. Mas não devemos baixar a guarda", disse o chefe da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli.

Itália registou no domingo 651 novas mortes ligadas à pandemia do novo coronavírus, menos 142 que no sábado (793). No que toca ao novo número de casos de infeção, 6557 no domingo, o número também caiu para 5560 casos.

Na Lombardia, a região que está a pagar o preço mais alto pela pandemia, os números, também mais baixos, foram recebidos com cautela.

"Os dados estão em claro-escuro. Hoje, a clareza prevalece (...) mesmo que não possamos gritar vitória", declarou Giulio Gallera, secretário da Saúde do governo regional.

Estes números são "auspiciosos", mesmo que apenas "a partir de terça-feira possamos saber se a contenção foi bem-sucedida", duas semanas após a implementação das medidas nacionais de confinamento, anunciadas a 10 de março.

Giovanni Maga, virologista do Instituto de Genética Molecular do Conselho Nacional de Pesquisa de Pavia (Norte), enfatiza que "a evolução de casos positivos é, por vezes, flutuante".

"Teremos de esperar pelo menos dois a três dias para descobrir se essa é uma tendência real ou não", disse no canal Rai News 24.

O novo coronavírus já infetou em Portugal mais de 2.000 pessoas e foram confirmadas já 23 mortes associadas à Covid-19.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Em todo o mundo, o novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou mais de 345 mil pessoas, das quais mais de 15.100 morreram.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.