De acordo com a mesma fonte, o táxi foi retirado durante a manhã, tendo ficado a ocorrência fechada cerca das 10:00.

No entanto, uma outra fonte dos Sapadores Bombeiros admitiu aos jornalistas no local do incidente que “ainda pode aparecer alguma vítima”.

Segundo disse à Lusa fonte da Polícia Marítima, a viatura caiu entre a marina da Expo e o Cais da Matinha e que o alerta foi recebido cerca das 05:10.

Pelas 08:00, a mesma fonte revelava não haver indicação de qualquer ocupante no interior da viatura e, cerca de quatro horas mais tarde, voltava a reiterar que não havia vítimas a registar, adiantando que tudo indicava que se tratava de uma viatura de táxi que tinha sido furtada na Avenida D. João II, em Moscavide.

Fonte do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, avançou, entretanto, que o alerta para o desaparecimento de um táxi foi dado pelo próprio proprietário, cerca das 4:50, depois de ter seguido para o local onde aquele caiu ao Tejo, através do sinal GPS do mesmo.

No local estiveram uma equipa de mergulhadores do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, uma lancha do Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), a PSP e a Polícia Marítima.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.