“Foram três meses atípicos, mas deu-nos tempo para ver como funcionava o clube, para conhecer os jogadores, fazer trabalho específico com alguns jogadores da formação. As equipas vão evoluir com os jogos e não apenas com o treino, para se ver como é que estão”, sublinhou Rúben Amorim, em conferência de imprensa, no estádio José Alvalade.

O técnico dos ‘leões’, contratado ao Sporting de Braga no início de março, apenas realizou uma partida no comando da formação lisboeta antes da paragem (vitória por 2-0 diante do Desportivo das Aves), enumerando algumas vantagens que a equipa do Sporting aproveitou neste período.

“Um novo treinador precisa sempre de tempo. Foi um período longo, não tivemos jogos de pré-época. Os jogadores não estavam habituados a uma paragem tão grande, nem podiam sair de casa. Tivemos mais tempo para trabalhar e isso dá-nos alguma vantagem”, frisou, realçando que a paragem também foi importante para a equipa “limpar a cabeça”.

O primeiro jogo na retoma da I Liga é no reduto do Vitória de Guimarães, tradicionalmente difícil, embora se realize sem público nas bancadas. Rúben Amorim negou existir vantagem nesse aspeto, preferindo jogar com o estádio repleto de adeptos vitorianos, e deixou elogios à equipa minhota.

“[O Vitória de Guimarães] É uma equipa com excelentes jogadores, com um excelente treinador, que vinha de um grande momento de forma. Espero um jogo muito complicado. É um excelente teste para a nossa equipa, não por facilidade, pelo contrário. Vai testar-nos em todos os momentos. Vai ser um excelente jogo para retomar o campeonato”, expressou.

A I Liga portuguesa de futebol vai regressar, quase três meses após a paragem imposta face à pandemia da covid-19, com fortes restrições e sem público nas bancadas, mas Rúben Amorim rejeitou qualquer tipo de receio dos jogadores durante os jogos, afirmando que “o futebol não vai mudar”.

“Quando a bola rolar, [os jogadores] fizeram isto a vida inteira e vai ser um jogo normal. Vai ser tudo igual ao que era. O que poderá mudar é a imagem do jogo em si, sem público, e talvez a velocidade do jogo”, explicou.

O médio Wendel e os avançados Joelson Fernandes e Luiz Phellype são os futebolistas indisponíveis para o duelo com o Vitória de Guimarães, devido a lesões, que Rúben Amorim ressalvou não estarem ligadas à paragem.

“Se virmos o calendário, não é assim tão diferente do calendário de janeiro, com Liga Europa e taças. Sabemos que vimos de uma paragem, mas é uma incerteza para todos os treinadores. Ninguém sabe como os jogadores vão responder à fadiga”, disse.

Rúben Amorim chamou vários jovens da formação sportinguista para ajudarem o plantel principal nos últimos 10 jogos do campeonato, expressando que “estão aptos para jogar” e “ter oportunidade de mostrar serviço”.

O Sporting, quarto classificado, com 42 pontos, desloca-se ao reduto do Vitória de Guimarães, sexto, com 37, em partida da 25.ª jornada, agendada para as 21:15 e que terá arbitragem de Carlos Xistra, da Associação de Futebol de Castelo Branco.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.