A proposta de hoje integra “um esforço extraordinário” da União Europeia (UE), juntamente com a comunidade internacional, para ajudar a Ucrânia a responder às necessidades financeiras resultantes da invasão da Rússia.

Juntando com outro financiamento já entregue no primeiro semestre, de 1,2 mil milhões de euros, a Ucrânia vai receber 2,2 mil milhões de ajuda macrofinanceira, montante que poderá chegar aos dez mil milhões de euros, uma vez que o programa esteja completamente operacional.

Nos termos da proposta de hoje, os fundos de assistência serão disponibilizados à Ucrânia sob a forma de empréstimos a longo prazo, em condições favoráveis.

A assistência apoiará a estabilidade macroeconómica e a resiliência global da Ucrânia no contexto da agressão militar russa e dos subsequentes desafios económicos.

A Ucrânia terá acesso à verba hoje proposta de mil milhões de urros assim que o Parlamento Europeu e o Conselho da UE derem o seu aval e os correspondentes Memorando de Entendimento e Acordo de Empréstimo estiverem assinados com as autoridade de Kiev.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro, ofensiva que foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para Kiev e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.