Os dados apresentados na quinta-feira pelo Ministério do Interior uruguaio mostram uma clara deterioração da situação de segurança, com um aumento de 55,8% dos roubos à mão armada e de 26,9% dos roubos em geral.

“A evolução dos delitos no primeiro semestre deste ano subiu em relação ao mesmo período de 2017. Esta tendência, que começou em novembro de 2017, como ponto de rutura, consolidou-se durante a primeira metade do ano”, afirmou o Ministério.

O relatório precisou que 50,5% dos homicídios foram resolvidos pelas autoridades. No total, 85% das vítimas eram homens e 15% mulheres.

Os dados oficiais confirmaram um estudo privado, realizado anteriormente pela Fundação Propuestas. De acordo com o estudo, a taxa de assassínios é, em média, de 36 por mês, ou um a cada 20 horas.

No contexto da América Latina, o Uruguai é considerado um país seguro.

No ano passado, 283 pessoas foram mortas no país de 3,5 milhões de habitantes, situado entre dois gigantes regionais, o Brasil e a Argentina.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.