No início de junho, a conferência de líderes tinha marcado o debate político sobre o ‘estado da Nação’ para dia 21 de julho e o último plenário de votações para dia 20, tendo hoje trocado esses agendamentos.

No dia 21 de julho, além de “um longo rol de votações”, segundo a porta-voz da conferência de líderes também foi agendada a proposta de lei do Governo que pretende alterar o regime jurídico de entrada, permanência, saída e afastamento de estrangeiros do território nacional, a Conta Geral do Estado e o Relatório Anual de Segurança Interna.

Segundo Maria da Luz Rosinha, o Chega pediu um debate potestativo (de realização obrigatória) sobre a salvaguarda dos direitos das crianças, que ficou marcado para 07 de julho.

De acordo com a porta-voz da conferência de líderes, foi ainda decidido “por consenso” aumentar o número de declarações políticas dos deputados únicos de cinco para oito, excecionalmente na primeira sessão legislativa (que se estende até setembro de 2023).

“Na segunda sessão legislativa, voltarão a ser cinco”, precisou a deputada socialista.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.