O Manchester City e o Chelsea disputam hoje a final da Liga dos Campeões em futebol, no Estádio do Dragão, no Porto. Esta será a terceira decisão 100% inglesa da história da competição, e a segunda consecutiva disputada em Portugal, já que a final foi ‘deslocada’ de Istambul devido às restrições nas viagens.

O jogo entre um estreante na final, o City, atual campeão de Inglaterra, e um repetente, o Chelsea, que tenta reconquistar o troféu alcançado em 2011/12, terá cerca de 16.500 espetadores, um terço da lotação do recinto dos "Dragões".

A mancha azul, a que a cidade Invicta já está habituada, tem por estes dias um sotaque bem diferente. Por oposição, as imagens, sobretudo de zonas como a Ribeira, mostram um cenário que já não nos é familiar: grandes ajuntamentos de pessoas... sem máscara. Sol e cerveja completam a paisagem humana.

Inicialmente, o Governo garantiu que os adeptos que chegassem a Portugal estariam menos de 24 horas em território nacional e em "bolha", desde a chegada até ao regresso ao país de origem. No entanto, já esta semana, a UEFA disse ao “Público” que era apenas "altamente recomendável" que os adeptos ingleses viajassem apenas no dia do jogo, não sendo, no entanto, obrigatório.

Este sábado, após uma visita ao Banco Alimentar Contra a Fome, em Lisboa, no decorrer da campanha nacional de recolha de alimentos, o Presidente da República foi instado a comentar o cenário a norte.

Perante as imagens transmitidas no local de muitas pessoas em esplanadas e bares no centro histórico do Porto, sem respeitar as regras sanitárias, Marcelo Rebelo de Sousa apelou ao “bom senso”, recusando que tais concentrações possam provocar “uma tragédia” ou que tenha de “haver recuo nisto e naquilo”.

No entanto, o Presidente da República deixou também reparos ao Governo pela forma como geriu o evento. “É uma questão de comunicação. Quando se diz que vêm em bolha, vêm em bolha. Se não, não se diz", comentou.

Esta sexta-feira, a PSP recusou responder à quantidade total de adeptos esperados por estes dias, dizendo apenas que serão “muitos” e “bastantes”. Sabe-se hoje que a Navegação Aérea de Portugal (NAV) atribuiu cerca de 500 voos entre 27 e 31 de maio, para o aeroporto do Porto, ligados à final da Liga dos Campeões de futebol, disse à Lusa uma fonte oficial.

Os adeptos do Chelsea vão poder assistir ao jogo na Avenida dos Aliados e os do Manchester City na Alfândega do Porto. Para acederem às chamadas 'fanzones',  “serão submetidos a uma revista pessoal sumária”, taal como nas entradas dos estádios, e terão de apresentar um teste PCR ou antígeno negativo.

O encontro levou a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) a enviar, este sábado, uma mensagem de apelo a todos os residentes do distrito do Porto e áreas limítrofes, para que cumpram as regras sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde nacionais.

"Cumpra regras de segurança, mantenha a distância. Proibido consumir álcool na via pública", lê-se na mensagem enviada. À Renascença, fonte da ANEPC confirmou que a mensagem foi direcionada não só a residentes no distrito do Porto e áreas limítrofes, mas que também foi enviada uma versão em inglês a todos os turistas presentes na região e com roaming ativado, independentemente da nacionalidade.

O encontro milionário tem início às 20:00 e pode ser visto na TVI24.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.