Falando à entrada para a cimeira de líderes da União Europeia (UE) que hoje arranca em Bruxelas, a responsável notou que relativamente ao futuro comercial de Bruxelas e Londres, que será discutido pelo Conselho Europeu, o bloco comunitário “está unido, tem uma clara posição e quer um bom acordo, mas não a qualquer custo”.

“Muito bom trabalho foi feito, mas ainda permanecem por resolver dois assuntos críticos: as pescas, que é essencial para milhares de pescadores, e a criação de igualdade de oportunidades, que é crucial para haver equidade [de concorrência] para as nossas empresas da UE”, precisou Ursula von der Leyen.

Os chefes de Estado e de Governo da UE reúnem-se novamente em Bruxelas, entre hoje e sexta-feira, para uma cimeira dedicada sobretudo ao ‘Brexit’, às relações com África e à pandemia da covid-19.

A cimeira começa com uma discussão sobre as relações futuras com o Reino Unido, com a participação do negociador-chefe do lado europeu, Michel Barnier, e à luz do atual impasse nas negociações quando já resta muito pouco tempo para terminar o chamado período de transição, no final do ano, data em que os britânicos abandonam em definitivo a UE.

Outro dos assuntos em cima da mesa é a pandemia de covid-19, sobre o qual os líderes europeus farão um ponto da situação dos esforços de coordenação ao nível comunitário no que respeita a medidas que restringem a livre circulação.

Presente na ocasião, Ursula von der Leyen, dará também conta dos progressos no desenvolvimento de uma vacina.

Falando sobre o aumento exponencial do número de infetados na Europa, a líder do executivo comunitário disse na chegada à cimeira que “a situação está a ficar cada vez mais e mais preocupante e são necessárias medidas fortes”.

“Mais do que tudo, é necessária boa cooperação e disciplina. A Comissão tem vindo a trabalhar arduamente para apoiar os Estados-membros a combater o vírus […] e é bom que agora haja um código de cores. Penso que também é necessário haja um acordo sobre a duração da quarentena e a necessidade de testes e, por isso, apelo a todos para que também cheguemos a acordo sobre esta questão importante”, concluiu.

No jantar de trabalho de hoje, o ‘menu’ contempla um debate de orientação sobre a forma de a UE atingir os seus objetivos climáticos, depois de, em dezembro passado, o Conselho Europeu se ter comprometido com a meta de a Europa atingir a neutralidade climática até 2050 e de a Comissão ter proposto um novo objetivo intercalar de uma redução de pelo menos 55% das emissões até 2030.

Na sexta-feira, os trabalhos são retomados com uma discussão estratégica sobre as relações da Europa com África, tendo em vista a futura reunião com os líderes da União Africana, seguindo-se outros assuntos prementes de política externa e o debate sobre a situação da pandemia da covid-19.

Portugal estará representado no Conselho Europeu pelo primeiro-ministro, António Costa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.