No Sea Forestt Waterways, duas horas depois de ter feito o melhor registo olímpico de sempre na distância, Pimenta foi terceiro classificado na regata das medalhas, com o tempo de 3.22,478 minutos, apenas atrás dos húngaros Balint Kopasz, que o desalojou como recordista olímpico, com 3.20,643, e Adam Varga (3.22,431).

Depois de uma falsa partida, Pimenta passou em primeiro aos 250 metros mas perdeu a liderança pouco depois.

Kopasz segurou a liderança a meio da prova, com o canoísta português a passar já em segundo aos 500m e aos 750m.

No fim ficou a dúvida: prata ou bronze? Mas pouco antes de cruzar a meta, Fernando Pimenta deixou escapar o segundo lugar para o outro húngaro, Adam Varga.

Esta é a segunda medalha para o canoísta de Ponte de Lima que, juntamente com Emanuel Silva, já tinha conquistado a prata em K2 1.000 m (Londres2012).

No Rio2016, Fernando Pimenta foi ainda quinto classificado em K1 1.000 metros e sexto em K4 1.000 metros. Nas olimpíadas do Brasil, o luso assumiu a liderança da prova no arranque, porém acabou por perder lugares até cair para quinto, atribuindo essa quebra de rendimento ao facto de ter apanhado algas no seu leme, que prejudicaram o seu desempenho.

O atleta de Ponte de Lima torna-se assim o primeiro português a conquistar duas medalhas olímpicas desde Fernanda Ribeiro — na história olímpica nacional é o quinto a consegui-lo.

Carlos Lopes obteve a prata nos 10.000 metros em Montreal1976 e o ouro na maratona em Los Angeles1984, Rosa Mota conquistou o bronze em Los Angeles1984 e o ouro em Seul1988, ambos na maratona, Fernanda Ribeiro foi campeã dos 10.000 metros em Atlanta1996 e bronze em Sydney2000 e o cavaleiro Luís Mena Silva arrebatou duas medalhas de bronze em desportos equestres, em Berlim1936 e em Londres1948.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.