A medida foi aprovada com os votos a favor de todas as bancadas parlamentares e a abstenção do Chega durante as votações na especialidade da proposta de OE2022 que decorre na Assembleia da República.

As propostas de alteração apresentadas pelos restantes partidos sobre o aumento das pensões foram todas rejeitadas.

“Em 2022, o Governo procede a uma atualização extraordinária das pensões, com efeitos a 01 de janeiro de 2022”, estabelece a proposta orçamental.

De acordo com o documento, “a atualização extraordinária é efetuada pelo valor de 10 euros por pensionista, cujo montante global de pensões seja igual ou inferior a 2,5 vezes o valor do indexante dos apoios sociais (IAS)”, ou seja, até 1.108 euros.

O valor da atualização regular anual, efetuada em janeiro, é incorporado no valor da atualização extraordinária.

“Os retroativos que sejam pagos ou colocados à disposição dos pensionistas, em virtude da atualização extraordinária prevista no presente artigo, são objeto de retenção na fonte autónoma, não podendo, para efeitos de cálculo do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) a reter, ser adicionados às pensões dos meses em que são pagos ou colocados à disposição”, pode ler-se no documento.

Segundo a iniciativa, a taxa de retenção a aplicar aos retroativos “é a que corresponder ao valor das pensões referentes ao mês em que aqueles são pagos ou colocados à disposição”.

O aumento extraordinário deverá chegar a cerca de dois milhões de pensionistas e terá um custo da ordem dos 200 milhões de euros, de acordo com o executivo.

Em 2021, o aumento extraordinário foi pago aos pensionistas que recebem até 658 euros (1,5 IAS).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.