O sindicato dos pilotos da TAAG convocou uma greve entre 07 e 16 de outubro.

Face à "gravidade do problema" e "impacto político, social e económico" da greve para as famílias, empresas e cidadãos em geral, o grupo parlamentar da UNITA decidiu solicitar um encontro de caráter urgente com o ministro dos Transportes, "que visa obter esclarecimentos sobre a situação da anunciada greve dos pilotos da TAAG, em virtude desta ser uma empresa estratégica para o Estado angolano".

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) pretende apurar as causas que levaram a esta situação, bem como as "dificuldades que o executivo e o conselho de administração da empresa têm tido para a resolução das preocupações apresentadas, no quadro do caderno reivindicativo, pelo sindicato dos pilotos" da transportadora aérea angolana.

Segundo um comunicado divulgado no sábado, a TAAG criou um "plano de contingência para minimizar o impacto da possível paralisação" e tem reuniões agendadas entre 03 a 07 de outubro para analisar a situação em conjunto com o sindicato.

Em 20 de julho, o caderno reivindicativo do Sindicato dos Pilotos de Linha Aérea (SPLA) foi entregue à TAAG, tendo sido realizadas reuniões nas quais a companhia aérea "apresentou diversas propostas de resolução, devidamente enquadradas na sua realidade financeira", e com o "firme objetivo" de acomodar as solicitações dos pilotos, lê-se na mesma nota.

A administração da TAAG sublinha ainda que "o seu foco na prestação de serviços com a qualidade adequada às expectativas" dos clientes, "obriga a agir com brevidade e a minimizar todo e qualquer impacto que lhes possa ser causado".

Nesse sentido, depois de recebida a informação sobre a "possível paralisação" dos aviões da companhia, a TAAG criou um plano que "vai permitir realizar os voos escalados para o período de greve".

A Lusa contactou o sindicato dos pilotos para saber detalhes sobre as negociações em curso com a administração da TAAG, mas os responsáveis remeteram informações para mais tarde.

 

RCR // LFS

Lusa/Fim      

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.