Em comunicado divulgado na terça-feira, o Departamento de Justiça anunciou ter vendido a cópia única do álbum do coletivo de hip-hop a um comprador cuja identidade permanece confidencial.

As receitas provenientes da venda - também elas por revelar - reverteram para o valor em dívida por Shkreli resultante da sua condenação em tribunal por fraude.

“Shkreli foi responsabilizado e pagou o preço por mentir e roubar investidores para enriquecer. Com a venda de hoje deste álbum único, o pagamento da sua dívida fica completo”, afirmou, no mesmo comunicado, a procuradora Jacquelyn Kasulis.

Em 2017, Shkreli foi condenado por duas acusações de fraude e uma de conspiração por orquestrar uma série de esquemas para defraudar investidores de fundos de investimento e manipular o valor e o volume de troca de uma ação farmacêutica.

Shkreli foi condenado a sete anos de prisão, a que se seguirão três de libertação supervisionada, tendo ainda de pagar 388 mil dólares (328 mil euros) e uma multa de 75 mil dólares (63,5 mil euros).

Como recorda o Departamento de Justiça norte-americano, em 2015 “Once Upon a Time in Shaolin” foi promovido como “uma obra de arte e um artefacto áudio”, incluindo uma caixa de prata, com gravuras feitas à mão, além de um manuscrito com capa de cabedal contendo as letras e um certificado de autenticidade.

O álbum do “supergrupo” norte-americano consiste num exemplar único e gerou tensões dentro do coletivo, devido à forma como foi promovido.

Um dos elementos, RZA, disse, em 2019, que faria tudo de novo, em declarações ao Business Insider: “Sou fortemente contra a desvalorização da música, sou fortemente contra o sentimento de posse que as pessoas sentem em relação à música. Essa campanha foi uma exploração política e artística sobre o assunto. Agora, como acabou nas mãos desse tipo e todas essas coisas, faria tudo de novo porque é o mito de Wu. Wu-Tang também tem uma mitologia”.

Em declarações citadas pelo New York Times na terça-feira, a advogada de Shkreli disse ter falado com o seu cliente, que se mostrou satisfeito com o valor da venda e que acrescentou “RIP O.D.B.”, lembrando o ‘rapper’ que esteve na fundação dos Wu-Tang Clan e que morreu em 2004.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.