O filme, com cinco minutos de duração, divide-se entre duas mulheres isoladas em casa com os filhos por causa da covid-19, uma delas a viver em Brasília, no Brasil, e a outra em Lisboa.

Em nota de imprensa, a realizadora explica que as duas mulheres “tiveram liberdade para filmar o que julgassem representativo dos seus dias e os seus sentimentos vivendo a quarentena”.

“Mulheres em Quarentena” é um dos 35 filmes de vários países que está em competição no Corona Short Film Festival, o primeiro festival de curtas-metragens criado em tempo de isolamento social, por causa da covid-19.

O festival, de acesso gratuito e ‘online’, é uma iniciativa de um grupo de profissionais alemães de cinema, e só foram aceites filmes feitos em isolamento, inéditos, sem terem tido qualquer exibição em redes sociais ou noutras plataformas.

Segundo a organização, haverá prémios monetários, entre 1.500 euros e 500 euros, a atribuir por um júri e pelo público em votação ‘online’, que termina no domingo.

Os filmes premiados terão futura distribuição e vendas internacionais, numa parceria da organização com o festival Interfilm Berlin.

Apesar de sublinhar que o festival não tem fins lucrativos, a organização do Corona Short Film Festival sugere donativos dos participantes para a organização Médicos Sem Fronteiras.

Bárbara Tavares é uma realizadora e produtora brasileira que vive no Porto, onde fez um mestrado em cinema documental.

É autora dos filmes “O Gigante do Papelão” (2010), “Hermógenes, Professor e Poeta do Yoga” (2015) e “Bom Caminho” (2017), rodado em Portugal.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.