Fundada em 01 de maio de 1972, a Comuna Teatro de Pesquisa, em Lisboa, “é das companhias portuguesas a mais internacionalizada, com atuações nos principais festivais de teatro internacionais (cerca de 55 festivais) e em tournées”, lê-se na proposta apresentada pelo presidente da câmara, Carlos Moedas (PSD), e pelo vereador da Cultura, Diogo Moura (CDS-PP).

Aprovada em reunião pública do executivo camarário, a proposta refere que a Comuna Teatro de Pesquisa, que em 1988 recebeu o Estatuto de Utilidade Pública Sem Fins Lucrativos, é atualmente uma cooperativa de atores, técnicos, pessoal administrativo e pessoal de assistência geral com longa experiência no grupo, assim como de novos elementos formados pela Escola Superior de Teatro e Cinema, na Comuna ou noutras escolas de reconhecido mérito artístico.

O executivo realça que, desde 1972, a Comuna apresentou “mais de 150 produções, das quais 80 textos originais e clássicos de dramaturgia portuguesa, bem como textos clássicos e contemporâneos do teatro mundial”, referindo que um dos principais objetivos da companhia é a itinerância pelo país, com a participação em Portugal em mais de 100 festivais de teatro e itinerância por mais de 86 localidades portuguesas.

“Com relevo acrescido para a cidade de Lisboa e para a diversidade da oferta cultural disponível, as salas da Comuna são um espaço público aberto a apresentações de dezenas de companhias de teatro portuguesas e estrangeiras, para além de concertos, exposições, colóquios, lançamento de livros, convívios, etc.”, reforça a proposta, indicando que ao longo dos 50 anos de existência contou com mais de uma centena de atores, dramaturgos e encenadores e “que são nomes de referência do teatro português atual”.

Na sua história, a Comuna contabiliza cerca de 40 prémios, destacando-se a menção especial da Associação Portuguesa de Críticos pela coerência do trabalho desenvolvido e pela ação divulgadora da Arte Dramática no estrangeiro, indica a Câmara de Lisboa.

A Medalha Municipal de Mérito distingue pessoas singulares ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, em que dos seus atos advenham “assinaláveis benefícios para a cidade de Lisboa, melhoria nas condições de vida da sua população, desenvolvimento ou difusão da sua arte, divulgação ou aprofundamento da sua história, ou outros de notável importância que justifiquem este reconhecimento”.

Neste âmbito, o Conselho da Medalha Municipal de Lisboa pronunciou-se “prévia e favoravelmente” sobre a atribuição da Medalha de Mérito Cultural à Comuna Teatro de Pesquisa.

Também por proposta do presidente da câmara, o executivo municipal aprovou, por unanimidade, a atribuição a SS.AA.RR os Grão-Duques do Luxemburgo da Chave de Honra da Cidade de Lisboa e a atribuição da Medalha de Honra da Cidade ao pintor e ceramista Manuel Alves Cargaleiro.

Por iniciativa do PCP e subscrita também pelo PS, a câmara decidiu, por unanimidade, proceder à avaliação da situação das livrarias independentes na cidade de Lisboa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.