O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças e a Agência Europeia do Medicamento referem em comunicado, "que é muito cedo para considerar o uso de uma quarta dose das vacinas contra a covid-19 de ARN mensageiro (Pfizer e Moderna) na população em geral", mas aprovam a sua administração a idosos a partir dos 80 anos após uma revisão de dados sobre o risco acrescido de covid-19 grave nesta faixa etária e a proteção conferida por uma quarta dose.

Ambas as entidades entendem que "não há provas claras" para "apoiar o uso imediato de uma quarta dose" em pessoas entre os 60 e os 79 anos, uma vez que não há dados que confirmem que a proteção conferida pelas vacinas contra a covid-19 grave diminua substancialmente em adultos destas idades com sistema imunitário normal.

O comunicado acrescenta que para a restante população adulta, com menos de 60 anos e com imunidade normal, "não há provas conclusivas" de que a proteção dada pelas vacinas contra as manifestações graves da doença esteja a diminuir ou que haja "valor acrescentado" em administrar uma quarta dose.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado em finais de dezembro de 2019 na China e que se disseminou rapidamente pelo mundo.

Desde 11 de março de 2020 que a covid-19 é uma pandemia.

Em Portugal são administradas vacinas da covid-19 dos laboratórios Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.