Donald Trump enfrenta a suspensão mais grave no quadro do Facebook, segundo o comunicado hoje divulgado pela rede social.

"Dada a gravidade das circunstâncias que levaram à suspensão das contas de Trump, acreditamos que as ações contribuíram para uma violação grave das nossas regras, merecendo a maior penalização possível disponível nestes novos protocolos de ação. Suspendemos as suas contas por dois anos, a partir da data da suspensão inicial, a 7 de janeiro deste ano", afirma Nick Clegg, vice-presidente para a área assuntos globais do Facebook.

A rede social de Mark Zuckerberg decidiu suspender as contas de Trump no Facebook e Instagram a 7 de janeiro, depois da invasão ao Capitólio.

Donald Trump fica suspenso até pelo menos 7 de janeiro de 2023. Nessa data, o Facebook vai consultar especialistas e "avaliar se o risco para a segurança pública diminuiu". "Avaliaremos fatores externos, incluindo instâncias de violência, restrições a reuniões pacíficas e outros marcadores de agitação civil", refere a nota esta sexta-feira publicada

"Se determinarmos que ainda existe um risco sério para a segurança pública, estenderemos a restrição por um determinado período de tempo e continuaremos a reavaliar até que o risco diminua", explica Nick Clegg.

Esta rede social também quer colocar fim a uma polémica estratégia, defendida pelo seu CEO [Diretor executivo], Mark Zuckerberg, segundo a qual os políticos ficam isentos de regras que proíbem o discurso de ódio.

Hoje, a empresa esclareceu que, embora ainda aplique esta isenção de regras a certas mensagens que considera de interesse público, mesmo que violem as regras do Facebook, não tratará esses conteúdos divulgados por políticos de forma diferente.

Estes anúncios respondem às recomendações do conselho de supervisão, órgão semi-independente, que, em maio, tinha pedido para a empresa rever a decisão de suspender "por tempo indeterminado" o acesso às contas das suas redes sociais por parte de Donald Trump.

O conselho tinha dado seis meses para a empresa tomar uma decisão sobre o assunto.

* Com Agências

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.