No dia do arranque da greve está prevista uma manifestação em Lisboa, junto ao Ministério da Saúde, que o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica considera que será “a maior manifestação de sempre”.

“Mais de meio milhar de profissionais irá descolar-se do norte e centro do país para manifestar a sua indignação”, estima o Sindicato num comunicado divulgado em vésperas da greve.

Durante a manifestação, os profissionais pretendem entregar no Ministério da Saúde um manifesto com “denúncias sobre as iniquidades que se abateram” sobre os técnicos de diagnóstico e terapêutica.

Segundo os sindicalistas, tinha sido acordado entre sindicatos e Governo uma quota de 30% de lugares de topo de carreira para os profissionais de diagnóstico e terapêutica. Contudo, em Conselho de Ministros, essa quota foi diminuída para 15%, uma situação que está a indignar os profissionais.

Análises clínicas e exames complementares de diagnóstico devem ser os serviços mais afetados por esta greve nacional destes profissionais que não tem para já uma data de fim.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.