Com um tempo de 22.27 minutos, necessários para cumprir os 18,5 quilómetros em Banyoles, Dennis venceu o ‘crono’, à frente de dois homens da Deceuninck-QuickStep: o francês Rémi Cavagna, segundo, a cinco segundos, e Almeida, a 28.

Nas contas da geral individual, o ciclista luso ocupa agora o primeiro lugar, com menos de um segundo de vantagem para o norte-americano Brandon McNulty (UAE Emirates), segundo, e três segundos para o espanhol Luis León Sánchez (Astana), terceiro colocado.

Depois de ter sido 27.º na primeira etapa, o português, de 22 anos, prossegue o bom momento de forma numa temporada de 2021 em que acabou a Volta aos Emirados Árabes Unidos em terceiro e o Tirreno-Adriático em sexto, depois de em 2020 ter liderado a Volta a Itália durante 15 dias.

Aos jornalistas, explicou que “não estava à espera” de subir à liderança logo hoje, mas que esse resultado foi “muito positivo”, até porque sabe que o contrarrelógio é “uma das armas para ganhar uns segundos” de que dispõe.

“Vamos ver se seguramos a camisola até ao fim. Conheço as etapas [que faltam], são muito difíceis, mas temos uma boa equipa e espero que possamos fazer bons resultados. [...] Tenho-me sentido cada vez melhor, o que é promissor”, explicou.

Na segunda vez que lidera uma prova deste nível, depois do Giro, o ciclista ocupa ainda o primeiro lugar da classificação da juventude, enquanto Ruben Guerreiro (Education First-Nippo), o outro português em prova, fez o 41.º melhor tempo do dia, a 1.21 minutos de Dennis.

Guerreiro segue agora no 31.º posto da geral e está a 53 segundos do compatriota.

O contrarrelógio, em que o português fez o terceiro 'top 10' na especialidade só este ano, fez a primeira seleção entre favoritos à vitória final, colocando Almeida na frente, mas também 'consagrou' um grande tempo de Rohan Dennis, que não vencia desde os Mundiais de 2019 - então o segundo título seguido na especialidade.

“Estou aliviado. Passou muito tempo entre vitórias, tem sido difícil. Mas é ótimo voltar a estar no topo, é fantástico. A equipa sempre apoiou e acreditou que podia fazê-lo”, explicou, após ver confirmado o triunfo, 545 dias depois do último, e o primeiro com a INEOS.

Na quarta-feira, a terceira etapa liga o canal olímpico de Castelldefels à estância de esqui Vallter2000, que encerra uma tirada de 203,1 quilómetros com uma ascensão de categoria especial, o primeiro teste à liderança de Almeida.

(Notícia atualizada às 19:24)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.