Uma investigação revelada pelo jornal britânico ‘Guardian’ mostra que a Apple dá acesso a menores a aplicações para adultos na sua App Store. Segundo as experiências feitas pelo Tech Transparency Project (TTP), mesmo após pedir a data de nascimento, a plataforma permite que sejam descarregados programas sexuais para os dispositivos da marca da maçã.

Segundo o jornal, esta investigação mostra que entre a informação que a Apple tem sobre os utilizadores e as formas como controla as restrições etárias na App Store, há uma falha.

Para testar o sistema, o TTP criou uma conta com data de nascimento em fevereiro de 2007, vendo, depois, de que maneira as restrições da Apple eram aplicadas. Mas o grupo descobriu que, apesar de o utilizador ter declarado uma idade de apenas, podia, por exemplo, descarregar aplicações de encontros e conversas para adultos, bem como outras dedicadas a fantasias sexuais — aplicações para maiores de 17 anos, segundo as regras da própria Apple.

Porém, quando um menor as tenta descarregar, aparece apenas uma janela a pedir para carregar em “Okay” se o utilizador tiver mais de 17 anos.

“Esta investigação revela grandes lacunas nas medidas de segurança para crianças na App Store, mostrando quão fácil é para jovens adolescentes aceder a aplicações para adultos que oferecem encontros, chats aleatórios, sexo e jogo, mesmo quando a Apple sabe que o utilizador é um menor”, diz a organização, no relatório.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.