Diapositivos de uma apresentação do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, divulgada pelo jornal The Washington Post e verificados agência France-Press (AFP), ressalvam que "a guerra mudou" nos EUA por causa da variante Delta. E que é prioritário subir as taxas de vacinação no país.

Uma das conclusões mais reveladoras é a que explica que os surtos em pessoas vacinadas são altamente contagiosos, de acordo com um estudo recente de um surto em Provincetown, Massachusetts.

Os especialistas baseiam-se num número (Ct) que indica a carga viral de uma pessoa. Quanto menor o número, maior será a carga. Em Provincetown, "não houve diferença nos valores médios (de Ct) em casos vacinados e não vacinados", segundo os diapositivos da apresentação.

O CDC divulgou esta sexta-feira um relatório preliminar sobre um evento de supertransmissão, no qual quase três quartos das pessoas estavam vacinadas. O surto coincidiu com as celebrações do 4 de julho, com o número de infetados a disparar.

Porém, ao contrário de outros surtos de grande dimensão, houve apenas sete hospitalizações, segundo o site MassLive, sendo que até ao momento não há óbito declarado.

"Este é o ponto-chave e a parte do motivo pelo qual o CDC mudou a sua orientação [relativamente à utilização da máscara]", disse à AFP Celine Gounder, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Nova Iorque.

"Na realidade, não é tanto pela proteção pessoal: como pessoa vacinada, se for infetada, pode ter sintomas leves ou nenhum. No entanto, com base no que estamos a ver, a pessoa vacinada pode contagiar as outras", explicou.

Jennifer Nuzzo, epidemiologista da Universidade Johns Hopkins, advertiu que o surto de Provincetown ocorreu num local com baixa transmissão comunitária pelo que a nova recomendação do CDC sobre o uso de máscaras não teria ajudado a prevenir o surto.

"Além disso, uma investigação sobre o surto sugere que as exposições ocorreram em locais como bares ou festas em habitações particulares, onde o uso de máscaras seria improvável", afirmou à AFP.

Os documentos do CDC também sugerem que as infeções não são tão raras quanto se pensava anteriormente, e atualmente existem "35 mil infeções assintomáticas por semana entre os 162 milhões de americanos vacinados".

Ao olhar para outros países, percebe-se que, embora o vírus original SARS-CoV-2 fosse tão contagioso como uma gripe comum, todos os infetados com a variante Delta infetam outros oito, o que a torna tão transmissível quanto a varicela, mas menos que o sarampo.

Relatórios do Canadá e da Escócia também sugerem que a variante pode ser mais grave, com maior probabilidade de levar à hospitalização. Também na Singapura foram registados maiores índices de internamentos e mortes.

As estimativas da eficácia da vacinação variam de país, mas no último diapositivo, o CDC considera que o risco de doença grave ou morte é reduzido em 10 vezes ou mais nos vacinados e o risco de infeção é reduzido em três vezes ou mais. Isto significa que existe uma eficácia de pelo menos 90% contra casos graves e mortes de pelo menos 67% contra as infeções.

Por: Issam AHMED da agência France-Press (AFP)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.