"Nesse ritmo (...), prevê-se que mais de 50% da população da região terá sido infectada com a variante Ómicron nas próximas seis, ou oito, semanas", disse o diretor da região Europa na OMS, Hans Kluge, em conferência de imprensa.

Kluge destacou que esta variante apresenta várias mutações "capazes de se fixarem mais facilmente nas células humanas" e afetar pessoas que já tiveram covid-19 e estão vacinadas.

A região Europa da OMS é composta por 53 países e vai até a Ásia Central. Nesta área, foram registados 7 milhões de novos casos de covid-19 na primeira semana de 2022.

Segundo dados da OMS, desde 10 de janeiro, 26 países da região relataram que mais de 1% de sua população foi infectada a cada semana.

Kluge afirmou que esta transmissão "sem precedentes" do vírus se traduz num aumento dos internamentos hospitalares, mas não no aumento da mortalidade.

A nova onda de contágios "é um desafio para os sistemas de saúde e para o atendimento de saúde em vários países onde a ómicron se propaga em alta velocidade e ameaça sobrecarregar a situação em outros", lamentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.