Em comunicado, a CEP adianta que Pedro Strecht vai apresentar na próxima quinta-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, “a Comissão por si constituída, bem como os princípios orientadores do trabalho a desenvolver a partir do início de janeiro de 2022”.

Esta apresentação vai contar, também, com a presença do presidente da CEP e bispo de Setúbal, José Ornelas.

A criação de uma comissão nacional para reforçar o atendimento dos casos de alegados abusos sexuais e o seu acompanhamento a nível civil e canónico foi anunciada em Fátima, no dia 11 de novembro, no final da Assembleia Plenária do episcopado.

A CEP referiu, na ocasião, que a comissão irá "reforçar e alargar o atendimento dos casos [de abusos sexuais] e o respetivo acompanhamento a nível civil e canónico e fazer o estudo em ordem ao apuramento histórico desta grave questão”.

O presidente da CEP, José Ornelas, disse no final da reunião que os bispos não receiam a investigação sobre abusos sexuais na Igreja.

“Temos muita pena e custa-nos muito tratar estas coisas [abusos sexuais], como qualquer família que tratasse de um problema destes, mas não temos medo e temos todo o interesse em esclarecer tudo isto”, afirmou José Ornelas.

Segundo a CEP, a "Igreja [católica] continua a enfrentar esta questão com seriedade, quer quanto ao apoio e acolhimento das vítimas, quer quanto à prevenção e formação” e reconhece o “trabalho das comissões diocesanas, constituídas especialmente por leigos qualificados em várias áreas como o Direito, a Psiquiatria e a Psicologia”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.