No regresso aos ‘red devils’, pelos quais cumpriu 55 jogos e marcou 16 golos – 52 e 15 sem pré-eliminatórias - entre 2003/04 e 2008/09, o ‘capitão’ luso só precisa de ser utilizado face aos suíços para se juntar ao ex-guarda-redes do FC Porto e seu ex-campanheiro de equipa nos espanhóis do Real Madrid.

Contando as pré-eliminatórias, Cristiano Ronaldo somará o 181.º jogo na prova e, descontando os quatro jogos que disputou de acesso à fase de grupos, que não entram nas estatísticas da ‘Champions’ (desde 1992/93), chegará ao 177.º.

Numa tabela e na outra, o jogador luso, de 36 anos, vai ficar à frente, para já junto a Casillas, que representou o FC Porto por 27 vezes na ‘Champions’, entre 2015/16 e 2018/19, podendo, depois, ultrapassá-lo na segunda jornada da fase de grupos.

Desde que a Taça dos Campeões Europeus passou a ‘Champions’, o ‘capitão’ da seleção lusa já é o jogador com mais títulos (cinco, mais um do que um lote de 16 jogadores) e golos marcados (134, contra 120 do seu principal perseguidor, o argentino Lionel Messi), faltando-lhe apenas o recorde de presenças.

O internacional português disputou 101 jogos pelos ‘merengues’, 52 pelo Manchester United e, nas últimas três épocas, 23 pela Juventus, equipa na qual ingressou em 2018/19, após nove temporadas consecutivas na capital espanhola.

No que respeita a toda a história da principal prova europeia de clubes, nascida 1955/56, o internacional luso tem em mira o mais apetecível dos registos, os seis títulos conquistados pelo ‘mítico’ jogador espanhol Francisco Gento.

Gento ganhou as primeiras cinco edições (1955/56 a 1959/60) e ainda em 1965/66, sempre ao serviço do Real Madrid, pelo qual o madeirense arrebatou quatro, em 2013/14, 2015/16, 2016/17 e 2017/18, após uma primeira pelo Manchester United, em 2007/08.

Em matéria de golos, tem mais 15 do que Messi (135 contra 120), pois conta um tento numa pré-eliminatória. O pódio é fechado pelo polaco Robert Lewandowski (73).

Cristiano Ronaldo é também o jogador que mais vezes acabou a época como melhor marcador, num total de sete (2007/08 e 2012/13 a 2017/18), em 2014/15 a par de Neymar e de Messi, que soma seis ‘títulos’, cinco vezes deles a solo (2008/09 a 2011/12 e 2018/19).

O português, atualmente com 36 anos, ostenta ainda o recorde de golos numa época, com os 17 de 2013/14, e a segunda melhor marca de sempre, os 16 de 2015/16. A terceira, os 15 de 2017/18, comparte com o polaco Robert Lewandowski, que igualou o registo em 2019/20.

O que Cristiano Ronaldo ainda não conseguiu, ao contrário de Messi e Luiz Adriano, foi marcar cinco golos num encontro: o argentino logrou-o em 07 de março de 2012, num 7-1 ao Bayer Leverkusen, e o brasileiro em 21 de outubro de 2014, com dois penáltis, no 7-0 no Shakhtar Donetsk no reduto do BATE Borisov.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.