“Foi destruído um arsenal na localidade de Voznesensk, região de Mykolaiv, que armazenava 45 mil toneladas de munições fornecidas ao exército ucraniano pela NATO”, declarou o porta-voz da Defesa russo, Igor Konashenkov, citado pela EFE.

De acordo com as autoridades russas, a aviação do país provocou ainda mais de 300 baixas entre os defensores ucranianos.

“A consequência de um ataque da Força Aérea da Rússia contra um local temporário de unidades da 72.ª brigada mecanizada numa empresa agropecuária da cidade de Artyomovsk (nome russo de Bajmut, no Donetsk) foram aniquilados até 130 militares e oito veículos e blindados”, adiantou Konashenkov.

Acrescentou ainda que “depois de um ataque com mísseis de alta precisão” contra a 95.ª brigada de desembarque e assalto do exército ucraniano na localidade de Dzerzhinsk (Toretsk, em russo, no Donetsk) foram aniquilados até 70 militares”, tendo ainda sido destruídas três peças de artilharia e três veículos.

A Defesa russa adiantou ainda que na região de Jarkov, no este da Ucrânia, a Força Aérea russa abateu mais de 100 efetivos da 3.ª brigada da Guarda Nacional da Ucrânia no território de uma central termoelétrica.

“Devido às elevadas perdas, o regime de Zelensky [presidente ucraniano] toma medidas para reforçar as tropas no Donbass”, disse Konashenkov.

De acordo com o responsável russo, isto obrigou as autoridades ucranianas a enviar para a frente de combate civis recentemente mobilizados que se estreavam na 72.ª brigada mecanizada da cidade de Bila Tserkva, no sul da capital Kiev.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.