Stoltenberg disse que a situação na fronteira com a Bielorrússia, que descreveu como grave, era uma prova das “táticas híbridas” por parte de Moscovo, segundo a agência de notícias espanhola EFE.

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) disse que o apoio que tem sido dado à Polónia e às repúblicas bálticas que sofrem a pressão migratória é “uma mensagem clara” de que a organização está pronta para “defender todos os aliados”.

Stoltenberg falava na abertura de um fórum na capital alemã sobre as relações transatlânticas e aludia à situação nas fronteiras da Polónia, Letónia e Lituânia com a Bielorrússia, onde milhares de migrantes do Iraque, Síria e Afeganistão estão a tentar entrar em território da União Europeia (UE).

Polónia, Letónia e Lituânia são atualmente membros da NATO.

Na quinta-feira, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, criticou os países ocidentais por terem encarado superficialmente os avisos de Moscovo sobre a passagem de “linhas vermelhas”.

“As nossas preocupações e avisos sobre o alargamento da NATO a Leste foram completamente ignorados”, afirmou então Putin.

Questionado em Berlim sobre a possibilidade de se invocar o Artigo IV da NATO em relação a esta crise para que os restantes aliados atuem em defesa da Polónia e das repúblicas bálticas envolvidas, Jens Stoltenberg não comentou, insistindo que “há conversações em curso”.

Defendeu que “o mais importante é resolver a situação na fronteira” e aludiu aos contactos com os países que enviam migrantes, como o Iraque, à interrupção da transferência de pessoas para a Bielorrússia e ao regresso de algumas delas.

“Há consultas constantes e fá-lo-emos durante o tempo que for necessário”, insistiu Stoltenberg, citado pela EFE.

Acrescentou que, apesar da gravidade da situação, havia sinais de alguma diminuição da tensão, incluindo a cessação dos voos de transporte de pessoas de países do Médio Oriente para Minsk.

Stoltenberg observou também que alguns dos migrantes “estão a regressar” aos países de origem, mas advertiu que a situação de migração irregular na fronteira bielorrussa necessita de “uma solução política”.

A Rússia tenta “influenciar os assuntos internos” de outros países, disse ainda Stoltenberg, que recordou o aumento das capacidades militares russas, especialmente no domínio das novas tecnologias.

Stoltenberg disse que o desafio colocado pela atitude das autoridades russas deixa claro que “o melhor método [para a contrariar] é a unidade entre os Estados Unidos e a Europa na NATO”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.