Os manifestantes, empunhando bandeiras georgianas e europeias, reuniram-se junto ao parlamento, onde fizeram soar o hino da União Europeia, constatou a AFP no local.

Várias organizações pró europeias e também formações da oposição apelaram para acentuar a pressão sobre o partido no poder, Sonho Georgiano, acusado de deriva autoritária e de deteriorar a relação com Bruxelas.

“Nós, o povo georgiano, exigimos que (o primeiro-ministro), Irakli Garibashvili, se demita e que um novo governo se forme para realizar todas as reformas solicitadas pela União Europeia”, disse um dos organizadores.

“Damos uma semana ao Governo para satisfazer a nossa exigência”, acrescentou, precisando que uma nova manifestação se realizará a 03 de julho.

“Quaisquer que sejam as promessas feitas pelo Governo georgiano, não acreditamos mais que respeitará a palavra”, afirmaram os organizadores da manifestação no Facebook.

“O povo georgiano deve defender a sua escolha europeia », sublinharam.

Tbilissi apresentou a candidatura à União Europeia juntamente com a Ucrânia e a Moldova, após a Rússia lançar a ofensiva contra o vizinho ucraniano.

Hoje, os dirigentes europeus decidiram conceder o estatuto de candidato oficial a Kiev e a Chisinau e disseram-se “prontos para conceder o estatuto de candidato” a Tbilissi, uma vez feitas as importantes reformas necessárias.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.