Enquanto o Paris-Saint Germain continua a lutar para conseguir vencer a primeira Liga dos Campeões do seu palmarés, parece existir uma espécie de 'maldição' no clube que 'dá' títulos europeus aos jogadores que deixam o emblema francês.

Kevin Trapp, guarda-redes que brilhou esta quarta-feira pelo Eintracht Frankfurt com uma defesa determinante aos minuto 119 do prolongamento que permitiu levar a final da Liga Europa para o desempate por grandes penalidades, e depois, nos penaltis, defendeu o tiro da marca dos 11 metro de Ramsey que deu o título à formação orientada pelo austríaco Oliver Glasner, é o mais recente exemplo desta 'maldição'.

O guardião alemão que esteve cinco épocas no PSG, tendo vencido três Ligue 1, três Taças de França, três Taças da Liga e cinco Supertaças francesas, deixou o clube francês definitivamente em 2019/20 e venceu agora o primeiro título europeu de clubes da carreira. E está longe de ser caso único.

Kevin Gameiro, que representou os parisienses entre 2011 e 2013, saiu para o Sevilha onde ganhou três Ligas Europas consecutivas (2013/14, 2014/15 e 2015/16) e, mais tarde, um quarto troféu da mesma competição pelo Atlético de Madrid na época 2017/18.

Kingsley Coman, jogador formado no PSG, saiu a custo zero para a Juventus em 2014/15, tendo-se mudado para a Alemanha em 2015/16, primeiro por empréstimo, depois a título definitivo. Com a camisola do Bayern Munich venceu a Liga dos Campeões em 2019/20.

Coman não foi o único a sair da capital francesa para vencer a orelhuda. Thiago Silva que vestiu as cores do Paris-Saint Germain durante oito temporadas, tendo sido inclusive capitão e referência maior da equipa, mudou-se para o Chelsea em 2020/21, onde, na mesma época, venceu a Champions.

Somam-se ainda mais dois casos de vencedores de títulos europeus: David Luiz e Zlatan Ibrahimovic. O central brasileiro que começou a carreira na Europa no Benfica jogou mais de duas épocas em França, (ainda fez quatro jogos da época 2016/17), tendo deixado Paris para regressar aos Blues. Lá venceu uma Liga Europa. Já o ponta-de-lança sueco que foi uma verdadeira máquina de marcar golos no estádio dos Príncipes, entre as épocas 2012/13 e 2015/16, deixou o PSG para se reencontrar com José Mourinho no Manchester United em 2016/17. Nessa época venceu uma Supertaça inglesa, uma Taça da Liga Inglesa e... uma Liga Europa.

A situação parece paradoxal na realidade de um clube que desde que foi adquirido por Nasser Al-Khelaïfi, em 2011, gasta largos milhões de euros na contratação de nomes como Neymar, Mbappé ou Messi e com o objetivo de vencer a Liga dos Campeões, algo que ainda não conseguiu. Esta temporada foi eliminada da competição pelo Real Madrid nos oitavos-de-final.

O melhor que o PSG conseguiu na competição foi alcançar a final em 2019/20, perdida precisamente para um dos nomes desta lista: Coman. O extremo marcou inclusive o golo que deu a vitória ao Bayern Munich nessa final.

No palmarés europeu, os parisienses contam com uma Taça das Taças conquistada em 1995/96 e uma Intertoto em 2001.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.