O registo de 11.978 casos diagnosticados na terça-feira marca o maior número de novas infeções relatadas num único dia desde o início da pandemia.

O recorde anterior tinha sido estabelecido a 2 de setembro, com 11.345 novas infeções registadas durante a onda da variante Delta.

Estes dados foram impulsionados pela nova variante Ómicron, detetada pela primeira vez na África do Sul, que é aparentemente mais contagiosa, mas causa menos casos de doenças graves e morte – especialmente entre as pessoas vacinadas.

A vacinação rápida do país logo no início fez de Israel um líder mundial.

Israel iniciou em 31 de dezembro a campanha para administrar uma quarta dose da vacina contra a covid-19 a pessoas vulneráveis, na expectativa de mitigar os efeitos de uma nova onda de contágios devido à propagação da variante Ómicron.

Cerca de um ano após o lançamento de um plano de vacinação maciço através de um acordo com a empresa farmacêutica Pfizer e quase seis meses depois de ter começado a administrar doses de reforço, as autoridades sanitárias israelitas deram ‘luz verde’ para administrar a quarta dose de vacina a pessoas com o sistema imunitário comprometido.

O primeiro-ministro, Naftali Bennett, disse na terça-feira que os primeiros resultados de um estudo no Sheba Medical Center mostraram um aumento de quase cinco vezes dos anticorpos entre as pessoas com a 4.ª dose da vacina.

Israel está a mudar rapidamente as regras e práticas para se adaptar, incluindo reduzir as quarentenas para evitar que a economia feche.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.