Em frente à Câmara do Porto Moniz, entre os munícipes que esperam pela abertura da estrada estava Julieta Francisco, que passou a noite no sítio da Santa, em casa dos pais, a combater o incêndio.

A moradora, que vive no centro do Porto Moniz, regressou a casa para cuidar dos filhos de manhã e, desde as 09:00, que aguarda a possibilidade de voltar a subir para junto dos pais.

“Estou aqui em baixo desde as 09:00, não há maneira de subir. Eu não sei até que ponto é que a estrada está fechada, para descer toda a gente desce, para subir o senhor agente da GNR diz que só sobem as pessoas que vão ajudar”, lamentou, em declarações à agência Lusa.

Julieta Francisco considerou a situação “injusta”, já que irmã conseguiu subir, mas porque foi a pé.

“Não tem lógica nenhuma, está tudo apagado, o que é que nós estamos ainda aqui a fazer”, questionou.

A moradora disse ainda não ter notícias dos pais, uma vez que a rede móvel está com constrangimentos.

“Estou de direta, ainda não comi, bebi água e estou aqui sentada à espera que façam alguma coisa”, adiantou.

Também na Escola Básica e Secundária do Porto Moniz estão 32 pessoas que aguardam para regressar a casa, entre as quais idosos e crianças, indicou à Lusa o diretor do estabelecimento de ensino, José Costa.

“São cinco crianças, o resto são adultos, que passaram a noite aqui na escola porque ontem [quinta-feira], por volta das 17:00, alguns alunos já não puderam subir”, acrescentou.

Segundo o diretor da escola, informações da Câmara do Porto Moniz dão conta de que a estrada deverá reabrir por volta das 16:30.

O fogo deflagrou inicialmente na quarta-feira, cerca das 18:00, na freguesia dos Prazeres, concelho da Calheta, tendo alastrado durante a noite à freguesia contígua da Fajã da Ovelha e, posteriormente, na tarde quinta-feira, às freguesias da Ponta do Pargo (ainda no concelho da Calheta), das Achadas da Cruz e do Porto Moniz, ambas já no município de Porto Moniz.

Na tarde de quinta-feira, foi também sinalizado um incêndio na freguesia da Quinta Grande, no concelho de Câmara de Lobos, que permanece ativo. Nesse dia, ocorreu ainda um incêndio no Curral das Freiras, no mesmo concelho de Câmara de Lobos, que foi dominado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.