As dívidas por pagar há mais de 90 dias do Serviço Nacional de Saúde (SNS) sofreram um duro revés no mês de maio. De acordo com o jornal Público, cresceram a um ritmo de três milhões por dia. 

As conta são do Conselho Estratégico Nacional de Saúde da CIP (Confederação Empresarial de Portugal) que enfatiza que naquele mês o défice ascendia a quase 377 milhões de euros. Ainda assim, o SNS levou a um corte inédito no financiamento (-2,5%) no valor acumulado dos cinco primeiros meses do ano.

Este órgão consultivo da CIP acusa o Governo de estar a "asfixiar financeiramente" o Serviço Nacional de Saúde e em comunicado descreve a situação atual como "preocupante".

Tanto que o vice-presidente do conselho consultivo da CIP, Óscar Gaspar, deixa o aviso: "Se nada for feito, arriscamo-nos a ter o maior défice de sempre do SNS este ano".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.