De acordo com o Instituto Geográfico Nacional de Espanha, o sismo foi o de maior magnitude desde a erupção do vulcão há mais de um mês, tendo sido registado às 16:34 locais em Villa de Mazo, a 38 quilómetros de profundidade e sentido pela população em toda a ilha.

La Palma tem sido afetada diariamente com vários tremores de terra, por causa da atividade do vulcão, que hoje, ao 34 dia de erupção, sofre um novo colapso no cone principal, causando significativos derrames de lava.

O presidente do arquipélago das Canárias, Ángel Víctor Torres, afirmou que "não se espera para já o fim da erupção". "Ainda temos pela frente várias semanas de emergência", disse citado pela agência Efe.

O primeiro-ministro, Pedro Sánchez, esteve hoje novamente em La Palma para reiterar o compromisso do governo espanhol de ajudar a reconstruir o que ficar afetado pelo vulcão.

Até hoje, a lava expelida pelo vulcão já cobriu 889 hectares de terreno e destruiu 2.129 edifícios.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.